quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Analisando o cada um.

Eu adoro observar as pessoas. Sim, observar. Ver, analisar, estudar.
Reparar em como cada uma delas fazem, às vezes, as mesmas coisas, mas de uma forma única.
De uma forma muito pessoal. Muito "sua". O jeito como andam, o jeito como falam, como gesticulam, como olham, como pensam. Eu gosto de ver como cada uma é.
Já lhes disseram que em pequenas coisas são revelados grandes e importantíssimos detalhes?
Gosto do jeito que o
Vinícius ajeita o cabelo (sempre da mesma forma, franzindo a testa, quase fechando os olhos), do jeito que o Chico sempre senta de pernas cruzadas (quase uma lady), do jeito que Priscila age quando alguém diz algo comprometedor ao seu respeito (olhando penetrantemente pra pessoa, quase matando-a por telepatia hahaha), da forma que o André pega o cigarro do maço, passa entre os dedos, bate a ponta e depois leva à boca... Entre tantos outros detalhes de tantas outras pessoas que estão em minha volta e que eu observo.
São coisas tão pequenas, tão simples, mas são tão únicas.
Tão de cada um. São coisas que por mais que imitem,
jamais serão iguais.
Isso é muito bonito! É muito lindo.
(Ou eu que sou estranha demais?)

7 comentários:

Francisco da Cruz disse...

Adorei *-*

Eu também percebo a forma peculiar a qual você ri, seu humor descontraído e debochado de uma forma geral, são coisas que me agradam em você

^ ^

Vinícius Ladeira disse...

Já reparei quando vc sorri de uma forma tão indescritivel, mas de uma forma que passa uma certa inocência.

eu ja ate tirei foto desse seu sorriso. Habib's dia 23 de dezembro de 2007, amo aquele dia.

Giul disse...

cada um é tão peculiar que se ditrai e se revela em seus "detalhes" gigantes.

M. disse...

Hum...isso é lindo!
Você sente bem mais próximo da pessoa, como se as coisas se renovassem...
Sei lá, mas é legal!

Tila Miranda disse...

É bom mesmo que isso exista. Só porque ver o mesmo cansa, né ?
Todo mundo quer uma diferençazinha pulando por cima dos ombros.

Delirium disse...

Tenho várias lembranças singelas como as que definiste. Aliás, recentemente encontrei nossos antigos bilhetes diários e recordei o quanto achava (e acho) bonita sua caligrafia.
E às vezes você dava uma risada curta, meio infantil, que eu lembrei enquanto lia esta postagem. Não dá pra explicar bem, é algo muito abstrato, mas trata-se de uma de suas exclusividades.

Mr.Kyle" disse...

Nem me fale realmente a forma das pessoas se espressarem é unica e te confesso que até hoje sinto falta de alguns trejeitos teus, como por exemplo quando vc falava : "Qualé" que tu se revirava toda... e de fato vejo que só conheçemos aspessoas quando sabemos o que elas pensam apenas numa troca de olhar, numa escapada, num arrumar de cabelo, coisasúnicas de cada um algo singelo e vital! Algo surreal!